Como escrever um roteiro infalível para o seu vídeo

//Como escrever um roteiro infalível para o seu vídeo

Como escrever um roteiro infalível para o seu vídeo

Tempo de leitura: 9 minutos

Antes de entrar em qualquer explicação sobre como escrever roteiros, seja para vídeos para a internet ou para outras plataformas, é de suma importância ressaltar o seu valor. Um lema muito utilizado por roteiristas é o de que “Um bom roteiro pode gerar um filme ruim, mas um roteiro ruim jamais irá gerar um filme bom”. Ao aplicar essa máxima nos seus vídeos, seja para a internet ou para outros objetivos da sua empresa, saiba que para gerar um bom roteiro é preciso haver muito planejamento, pesquisa e estratégia.

Seguindo a tríade citada logo acima, um planejamento não inclui apenas a escrita de um roteiro em si, já que ele irá ditar todos os passos posteriores do seu vídeo. Sejam eles, a pré-produção e a produção e a pós.

Mas então, por onde começar o seu planejamento?

Todo roteiro, antes de ser escrito, precisa de um propósito. Quanto mais você souber aonde quer chegar, mais saberá a trajetória que deverá percorrer. Sendo assim, podemos planejar um roteiro através de 4 etapas:

1 – Defina seu objetivo

Um erro muito cometido por quem produz vídeos sem um conhecimento prévio dos processos é a indefinição de um objetivo claro. Para qualquer estratégia, é necessário ter uma finalidade. O seu vídeo, para ser eficiente, precisa comunicar a mensagem pela qual ele foi idealizado.

Vídeos para internet possuem uma gama infinita de objetivos. Você pode escrever roteiro para vídeos focados em engajamento, em geração de leads, em vendas ou em um simples posicionamento de marca. Saber exatamente o que você quer é o primeiro passo para um roteiro infalível.

2 – Escreva um logline

Logline é um resumo em poucas frases do que será o seu vídeo. Mas isso não será um problema se você já tiver definido um objetivo. Escreva seu logline em no máximo cinco linhas.

Ao exercitar o seu poder síntese, você tem mais claro uma defesa objetiva do seu conteúdo. Algo que irá ajudá-lo na próxima etapa do seu planejamento: a pesquisa.

3 – Faça pesquisa

Objetivo definido, logline bem estruturado, é hora de partir para a pesquisa. Ao pesquisar sobre o conteúdo que deseja produzir, procure por fontes confiáveis, leia sobre diversos pontos de vista e crie sua própria percepção.

A pesquisa tende a desconstruir muitas certezas e achismos que você vai nutrindo durante toda a idealização do seu conteúdo. Por isso, desapegue de preciosismos, nem sempre o vídeo que você imagina fazer é o vídeo que deve ser feito.

Mantenha o foco e não exagere no seu tempo de pesquisa. Você nunca terá todo o conhecimento sobre um determinado assunto. Por isso, atentar em um ponto específico e destrinchá-lo é muito melhor do que abranger diversos temas e não se aprofundar em nenhum.

4 – Monte uma estrutura

A elaboração de conteúdo conta com uma técnica simples, que você certamente já deve ter usado ao escrever qualquer texto na sua vida: a estrutura. Em termos técnicos, o outline é a divisão do seu conteúdo em tópicos.

Com uma pesquisa bem feita em mãos, estruture seu conteúdo sem filtrá-lo. Pois essa é uma tarefa que já compete ao seu processo de escrita.  

Vamos começar a escrever?

Como você pôde ver, existe uma longa trajetória a ser percorrida antes de dar o start na escrita de um roteiro. Muitas pessoas que ignoram essas etapas, tendem a ter dificuldades na hora em que as ideias de fato são passadas para o papel. Por isso, não ignore nenhum passo, pois cada um é vital na produção de um roteiro competente para o seu vídeo.

Escreva o seu roteiro respeitando o princípio básico de qualquer conteúdo, seja ele textual ou audiovisual, a estrutura em três atos: introdução, desenvolvimento e conclusão. Ao adaptarmos essa sistemática para a elaboração de roteiros para vídeos online, podemos transformá-la em uma estrutura formada por:

1 – Premissa

Na internet, seu vídeo deve ser dinâmico e fisgar seu público logo nos seus primeiros segundos. Por isso, comece a escrever seu roteiro pela sua premissa. Muitos começam seus roteiros com uma pergunta que é respondida logo em seguida. Essa é uma maneira sagaz de mostrar o que seu vídeo irá entregar. Uma técnica muito utilizada em textos jornalísticos é a Pirâmide Invertida, que consiste na sua história resumida logo nas primeiras linhas de um texto. Assim, o seu público já saberá de imediato o que o espera no restante do conteúdo.

2 – Entrega

A premissa faz uma pergunta ao seu público e responde logo em seguida. Já a entrega é a constatação do que você prometeu. Esse é o momento em que a sua pesquisa precisa ser eficiente. Não há sensação pior do que a de assistir a um conteúdo que promete, mas não cumpre.

Capriche na entrega do seu conteúdo, o seu desenvolvimento. E o conclua de forma em que toda a trajetória do seu vídeo faça sentido. A palavra finalidade remete à tendência para a realização de um fim, para a conclusão de um plano traçado. Logo, o final do seu vídeo precisa atender à finalidade, ou melhor, o seu objetivo, que foi definido antes de todo o processo de escrita.

3 – Chamada para ação

O seu público pode assistir ao seu vídeo, se envolver com ele e ir à caminho de outro conteúdo. Isso se você não incentivá-lo a se engajar para o que ele acabou de assistir. Por isso, induza o seu público a tomar uma ação. Calls to action são gatilhos mentais que usamos para manter a nossa audiência ativa e interativa. Seja criativo e pense em calls to action matadores para os seus vídeos.

Desenvolvidas as três etapas de escrita do seu vídeo, é preciso estruturá-lo em um modelo que seja de simples entendimento para toda a sua equipe. Para isso, existem diversos modelos de roteiros, mas um dos mais usados em vídeos de conteúdo é o Modelo de Duas Colunas. Então, para não te fuzilar de informações, vamos nos ater apenas a esse modelo.

Um Modelo de Duas Colunas é fácil. A coluna da esquerda corresponde a todas as informações em áudio do seu vídeo e a coluna da direita a todas as informações visuais.

ÁUDIO VÍDEO
APRESENTADOR:

Vídeos são os protagonistas da nova geração do marketing digital…

AÇÃO:

Em um escritório, vemos apresentador diante do notebook.

É importante que você respeite cada coluna e escreva apenas o que seja de fato visual ou audível. Algo do tipo: “Fulano fica chateado, mas não demonstra.”, simplesmente é impossível de ser representado visualmente se você não descrever a ação de forma objetiva.

Alguns termos podem ajudá-lo a passar de forma clara a ideia do seu roteiro. Não hesite em usá-los para ajudar sua equipe na produção.

Se liga nos termos técnicos!

Off Screen (O.S.)

É usado em diálogos quando o indivíduo não aparece na tela, mesmo estando na cena.

Voice Over (V.O.)

É parecido com o O.S., com uma leve diferença. O indivíduo não se encontra na cena, mas ouve-se sua voz. Imagina se a sua vida fosse um filme. Você está na sala assistindo tv. Certamente se sua mãe gritasse da cozinha, o público veria apenas você em cena.

Background (BG)

É utilizado para se referir aos sons, mas serve também para cenários e outras inserções. É aquilo que está no fundo, que tem menos destaque em uma cena em relação a outros elementos.

Fade

Um som ou imagem em Fade In é quando algo aparece gradativamente. Já o Fade Out é o efeito inverso, encerrando uma ação.

Locução

Refere-se ao texto narrado por um locutor que não vemos no vídeo.

Lettering

São textos ou animações que aparecem na tela para destacar alguma informação.

Zoom

Divide-se em dois tipos: Zoom In aproxima a imagem, enquanto Zoom Out a afasta.

Você aprendeu como escrever um roteiro e pelo jeito ficou preocupado com o tamanho do trabalho que roteirizar um vídeo pode resultar. Existem alguns softwares pensados exatamente para facilitar a sua vida.

Softwares de edição de roteiro

Embora você tenha a opção de usar um Google Docs, um software de roteiro possui inúmeras funcionalidades que foram pensadas em executar boa parte de um trabalho mecânico e desgastante. Com eles, você já possui um modelo de roteiro, escolhas de ações, termos técnicos e outros tantos artifícios que economizam o seu tão precioso tempo de trabalho.

CELTX

É um software básico, mas muito eficaz. Com uma interface em português, ele possui diversas funcionalidades gratuitas para te ajudar na hora de escrever roteiros profissionais.

Final Draft

Muitos o consideram o melhor programa de edição de roteiros. O Final Draft tem muitos recursos de edição e escrita, mas é um programa bem mais caro e não possui versão gratuita e em português.

Nem só de técnica vive um bom roteiro audiovisual

É preciso ter um olhar apurado para trabalhar um conteúdo atraente para o seu público. Estude sua persona, os tipos de conteúdo que você pode utilizar nos seus vídeos e coloque as mãos à obra.

Opte por vídeos menores, de três a cinco minutos. Estude as plataformas de veiculação dos seus vídeos e saiba que cada uma possui um jeito próprio de se comunicar. 

Por último, e não menos importante, invista em storytelling, que é uma técnica de contação de histórias muito utilizada em publicidade, marketing e no audiovisual em geral.

Siga-nos nas redes sociais e assine a nossa newsletter. Produzimos conteúdos sobre tudo o que você precisa saber sobre marketing de conteúdo, marketing digital e vídeos para internet.

 

By |2019-03-10T10:48:42-03:00outubro 2nd, 2018|Categories: Sem categoria|0 Comentários

Sobre o Autor:

Há 10 anos, viajamos com briefings interestelares, em entregas feitas na velocidade da luz e uma equipe especializada pronta para os mais inimagináveis desafios. Agora embarcamos numa nova jornada. Adentramos o universo do marketing digital e estamos prontos para muitas batalhas, conquistas e descobertas. Nossa expertise em produção audiovisual munida de técnicas de storytelling e estratégias de marketing, são os nossos diferenciais.

Deixar Um Comentário